Menu

Estudos e artigos

Jesus é o Deus Vivo e Verdadeiro

“Nele habita corporalmente toda a plenitude da Divindade” (Cl 2.9). 

Toda a plenitude, significa que Deus está plenamente em Jesus e Jesus é plenamente Deus. Significa que não apenas uma parte de Deus ou um terço de Deus, mas a plenitude da Divindade estava em Cristo. Ele era e é Plenamente Deus!

O anjo disse a Maria, o Santo que de ti há de nascer será chamado Filho de Deus. Jesus não passou a existir apenas a partir do seu nascimento, ele sempre existiu. Da manjedoura por diante Jesus seria reconhecido como o Filho de Deus, mas desde a eternidade ele sempre existiu como o próprio Deus. O que muitos não entendem é que ele assumiu uma nova natureza, a humana, mas não perdeu a sua eterna natureza divina.

Antes da vinda de Jesus, o Deus Eterno era tido como Senhor e Salvador do seu povo. O salmista diz: “Bendito seja o Senhor, Deus, nosso Salvador, que cada dia suporta as nossas cargas” (Sl 68.19). O próprio Deus diz: “Eu, eu mesmo, sou o Senhor, e além de mim não há outro salvador” (Is 43.11). No Novo Testamento, Jesus é descrito como o único Senhor e Salvador dos povos. Pedro falando da justiça de Cristo, o chama de Deus e Salvador (2Pe 1.1). Paulo escrevendo a Tito diz: “Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo” (Tt 2.13). Pedro ainda diz: “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, agora e para sempre! Amém” (2Pe 3.18).

O mesmo Deus que no passado jurou por si mesmo que todo joelho se dobraria diante dele e toda língua o confessaria como Senhor, afirmou mais adiante que todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra, se dobrará diante de Jesus Cristo e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor (Is 45.23; Fp 2.10-11).

No passado, Deus foi chamado de vários nomes e títulos. Ele foi conhecido como Elohim, Jeová-Jireh, Jeová-Shamá, Jeová-Nissi, Jeová-Shalom, El-Shadai, El-Elyon, Adonai e tantos outros nomes. Sobre o nome de Deus, veja o que um dos últimos profetas do Antigo Testamento disse: “O Senhor será Rei sobre toda a terra, naquele dia, um só será o Senhor, e um só será o seu nome” (Zc 14.9). Que maravilha! O Evangelho revela um único nome: “Jesus Cristo”. Verdadeiramente, hoje temos um só Senhor e um só nome, JESUS! “Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (1Jo 5.20). Jesus em sua oração disse: “Pai santo, pelo poder do teu nome, o nome que me deste, guarda-os para que sejam um, assim como tu e eu somos um”. Ele continua: “Quando estava com eles no mundo, eu os guardava pelo poder do teu nome, o mesmo nome que me deste…” (Jo 17.11-12, ntlh). Que profundidade! Jesus se identifica com o mesmo nome do Pai. Ele é conhecido como o Deus forte e Pai da Eternidade.

João disse que Jesus era o verbo que estava com Deus e era Deus. Disse também que ele é o criador de todas as coisas, pois é por meio dele que tudo veio a existir (Jo 1.1-3). O apóstolo Paulo diz que Jesus é a imagem do Deus invisível (Cl 1.15); logo, se alguém quiser ver a Deus, tem-se que olhar para Jesus, pois Jesus é imagem do Deus que não se pode ver; é o Verbo que se encarnou, assumindo a forma visível que antes não tinha. Diz ainda que nele foram criadas todas as coisas, tudo foi criado por meio dele e para ele.  Ele é antes de todas as coisas e nele tudo subsiste (Cl 1.16-17). Jesus não só criou todas as coisas, como também, sustenta e mantem a ordem de todas as coisas.

Jesus é Deus porque a Bíblia diz: “… e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre. Amém! ” (Rm 9.5). Sobre Jesus, o apóstolo João afirma: “Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (1Jo 5.20). Tomé disse a Jesus: “Senhor meu e Deus meu! ” (Jo 20.28). 

Jesus é Deus porque ele disse ser: “Eu e Pai somos um” (Jo 10.30). “… porque se não credes que EU SOU, morrereis nos vossos pecados” (Jo 8.24). “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo 14.6). Nenhum simples homem mortal poderia, jamais, dizer tais palavras senão Deus. Naquela mesma conversa Felipe disse a Jesus: “Senhor, mostra-nos o Pai e isso nos basta. ”Jesus lhe respondeu: “Felipe, estou há tanto tempo convosco e ainda não me conheces? Quem me vê a mim vê o Pai.”  “Desde agora o conheceis, e o tendes visto” (Jo 14.7,9). 

Acheguemo-nos a Jesus Cristo, adoremos ao seu santo nome e rendemos lhe louvores, pois ele é o Deus manifestado na carne, o Salvador do mundo, o Deus vivo e verdadeiro!

Pastor Eloízio Coelho | preloizio@oitavaigreja.org.br