Menu

Estudos e artigos

SABEDORIA E FÉ

MOSTRE SUA FÉ

TIAGO 2

Vivemos em um tempo de altíssima exposição. As redes sociais estão repletas de exibições de imagens pessoais, preferências ideológicas, políticas, esportivas… A fé, contudo, não conta com uma exposição na mesma proporção.

Em tempos assim, uma frase escrita por Tiago em sua carta (capítulo 2), desperta nossa atenção para este tema. Ele disse: “Mostre a sua fé”! De que tipo de fé ele estaria falando que deve ser mostrada?

Fé que crê – Falar que crê em Deus, mas não viver de acordo com o que o Senhor Deus estabeleceu como regra de conduta é uma profissão de fé às avessas.

Tiago afirma: “Qual o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras?” Esse é um tipo de fé sem propósito, sem valor: “Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo?”.

Tiago disse que Abraão creu e isso gerou frutos (v. 23). Ele disse ainda: “Você crê em Deus? Sim? Mas que diferença isso tem feito na sua vida?” (v. 19). Uma fé que crê é dinâmica. Desvencilha-se dos discursos e parte para a ação.

Fé que anda – Nos dias de Jesus, não faltava conhecimento da Palavra de Deus, o que faltava era uma aplicação coerente e honesta desta Palavra na vida diária.

Abraão é um exemplo de quem acredita que o que Deus fala é verdade. Ele é um exemplo de quem segue, por fé, suas instruções e mandamentos.

De forma bastante infeliz, o que pode ser percebido, em alguns casos, é a existência de uma fé que não se movimenta, não anda; ao contrário, empaca, segura as pessoas em uma forma da religiosidade infrutífera. Voltemos à pergunta de Tiago: “Qual é proveito de tal fé?”.

Fé que faz – Fé demanda ação. A teoria pode ser bela, mas são as ações que autenticam a fé professada com palavras. Tiago faz uma comparação e cita dois exemplos para enfatizar a necessidade que a fé tem de se tornar uma prática.

Primeiro ele imagina uma situação em que necessidades básicas são confrontadas apenas com palavras bonitas de uma fé maquiada. Ou seja, uma pessoa que precisa de comida, mas ouve apenas um: “Deus te abençoe! Vá em paz!”. Ele pergunta: “Qual o proveito disso?”.

Depois ele fala de Abraão e Raabe. Sobre Raabe, ele diz que ela foi justificada pelo que fez e não apenas pelo que acreditou ser a verdade.

Encerra dizendo: “Quando o corpo é separado do espírito, temos um cadáver. Tentem separar a fé das obras. O resultado será o mesmo: apenas um cadáver!” (A Mensagem).

Fé que aparece – Precisamos fugir do subjetivismo ao qual foi submetida a fé de muitos. Tiago provoca: “Mostre a sua fé sem ações! Veja se consegue convencer alguém com a inoperância da sua fé”. Ele continua: “Eu mostrarei a você a minha fé autenticada pelas minhas ações coerentes com as palavras”.

Tiago não poderia ser mais enfático: “Mostre a sua fé!”. Não conseguiremos isso apenas com roupagens de fé, maquiagens de fé, discursos sobre a fé. Nossa fé somente será vista por meio de nossas atitudes, evidenciadas por um caráter transformado e moldado pela Palavra de Deus.

Em um tempo de excessiva exposição de imagens pessoais, o que precisamos cuidar é de expor nossa fé, com objetividade, com atitudes concretas, que não apenas denunciem, mas comprovem que servimos ao Senhor Jesus com nossa vida inteira.

Mostre a sua fé! Viva a sua fé!

Pr. Gidiel Câmara ∙ Pastor Auxiliar