Menu

Notícias

COMO EXPERIMENTAR A VONTADE DE DEUS

Há muitas coisas na vida de um crente que são de enorme importância. Uma delas é, certamente, o conhecimento da vontade de Deus. Contudo, esta tem sido uma das grandes frustrações para muitos.

Quando Paulo escreveu aos romanos (cap. 12.1-19), deixou algumas dicas para aqueles que desejam conhecer a vontade do Senhor. Quais caminhos precisaremos percorrer para descobrir a vontade de Deus?

O caminho da entrega integral – Deus foi o primeiro a se entregar, a se doar. A vinda, vida, morte e ressurreição de Jesus constituem-se na maior demonstração do Deus da entrega (Jo. 3.16). O próprio Jesus afirmou que não veio para ser servido, mas para servir e dar sua vida para resgatar muitos (Mt. 20.28). Disse ainda que entregaria espontaneamente sua vida (Jo. 10.18).

A vontade de Deus será amplamente conhecida por aqueles que aprenderem a se entregar de maneira integral, primeiramente a Deus, depois aos seus irmãos e aos seus próximos.

O caminho do padrão divino – É na Palavra de Deus que encontramos a revelação da vontade d’Ele, e é obedecendo a esta Palavra que podemos experimentar essa boa, perfeita e agradável vontade de Deus. O padrão divino estabelece a santidade como o estilo de vida do crente (Lv 20.7; 1 Ts 4.3; 1 Pe 1.16; 4.2). O padrão divino afirma que os crentes não devem se isolar, antes devem prezar pela vida de comunhão (Hb 10.25; Sl 122, 133).

Para conhecer e experimentar a vontade de Deus, que é boa perfeita e agradável, você deverá passar pelo caminho do padrão divino. Jesus é o modelo.

O caminho da humildade – Humildade é um traço, uma marca de caráter que deve estar muito bem visível na vida de um crente em Cristo. Obviamente o exemplo maior pode ser encontrado na pessoa de Jesus. Ele é chamado de “Rei humilde” (Zc 9.9).

Paulo disse aos romanos que os humildes não pensam deles além do que convém. Isso não quer dizer que eles se sintam inferiores. Implica dizer que eles dão a preferência. Aos filipenses, disse que os humildes têm o mesmo sentimento que existiu em Jesus (Fp 2.5).

O caminho da cooperação (mutualidade) – Dificilmente um crente conhecerá a vontade de Deus se decidir viver isoladamente.

O Senhor Deus escolheu conceder maturidade por meio da mutualidade, da comunhão, da cooperação.

Se a vontade de Deus é que seus filhos vivam em união, não há como conhecer a boa, perfeita e agradável vontade do Senhor se decidirmos andar em isolamento, pois isso representa rebeldia.

O caminho do serviço – Não há crente inválido, incapaz, inútil ou dispensável. O que existe são pessoas que não acreditaram na Palavra de Deus quando ela afirma que todos têm dons. No caminho do serviço enxergamos que a vontade do Senhor é uma autodoação, uma entrega para o serviço ao próximo.

No caminho do serviço aprendemos que a fraqueza, limitação e debilidade na vida do crente consistem em uma preciosa oportunidade para Deus agir com Seu poder ilimitado, inesgotável e incontido.

O caminho do amor – Se não houver amor, conforme Paulo escreveu aos coríntios (1 Co 13), as obras são infrutíferas. Ele disse aos Colossenses que o amor é o vínculo da perfeição (Cl 3.14). O amor é o sentimento que rege os relacionamentos, permitindo que eles amadureçam, não apenas envelheçam.

No caminho do amor, Paulo menciona pelo menos dez “estações”, as quais passaremos a considerar: Sinceridade (v. 9), discernimento (v. 9), afeição (v. 10), honra (v. 10), entusiasmo (v. 11), paciência (v. 12), generosidade (v. 13), boa vontade (v. 14,17-21), simpatia (v. 15) e harmonia (v. 16).

É possível conhecer e experimentar a vontade de Deus. Na realidade, é mais do que possível, é fundamental que um discípulo de Cristo conheça e experimente a vontade d’Ele. Como? Trilhando o caminho. Neste caminho percebemos que há a necessidade de deixarmos de lado a mesquinharia e assumir a postura de um doador.

Uma pessoa somente experimentará a boa, perfeita e agradável vontade do Senhor se estiver em Cristo e disposto a obedecê-lo em tudo.

Pr. Gidiel Câmara · Pastor Auxiliar