Menu

Estudos e artigos

A MENSAGEM DA CRUZ

Em uma noite comum no Antigo Oriente, um anjo apareceu para alguns pastores que faziam seu trabalho rotineiro e lhes entregou uma poderosa mensagem: “hoje nasceu na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.10). O anjo chamou esta mensagem de “boas novas de grande alegria”. E, realmente, esta mensagem mudou o curso da história.

Anos mais tarde, Jesus, o Salvador, se apresentou para ser batizado pelo seu primo – João, o batista. Mais uma vez uma voz do céu se fez ouvir, trazendo uma poderosa e transformadora mensagem: “Este é o meu filho amado, em quem coloco todo o meu prazer; ouçam-no” (Mt 3.17; Lc 3.21).

Esta mensagem foi sendo proclamada e o Reino de Deus sendo anunciado. Religiosos e políticos tentaram silenciá-la usando os mais sórdidos métodos: difamação, calúnia, acusação, intimidação, prisão e morte. O Salvador anunciado, o Filho Amado foi caluniado, difamado, acusado, preso, condenado e morto em uma cruz (o paradoxo ainda é real: uma imunda, doída, humilhante, mas, bendita cruz). A mensagem foi silenciada! Bem, esse foi o pensamento dos adversários inimigos. Mas essa não era a realidade.

O uso da cruz tinha também como proposta silenciar a vítima e, sobretudo, sua mensagem. A história é testemunha de que a cruz não silenciou a mensagem de Cristo, o Messias, o Salvador, o Filho Amado do Deus Todo-Poderoso. Ao contrário, a mensagem do anjo e a voz do próprio Deus incluíram a cruz para dizer a todos que Jesus veio do céu para a terra, nos mostrou o Caminho; foi para a cruz e de lá para o sepulcro; mas o sepulcro foi forçado a devolvê-lo. Do sepulcro ele foi para o céu, de onde virá buscar a igreja e julgar os vivos e os mortos.

Desde então, a mensagem da manjedoura uniu-se à mensagem da Cruz e é, sem dúvida, a mais poderosa mensagem que uma pessoa pode ouvir. É também a mais segura mensagem a qual uma pessoa pode (e deve) apegar-se. Essa mensagem não usa técnicas humanas de convencimento, pois traz consigo o poder de Deus que é capaz de convencer qualquer pessoa quanto ao pecado, juízo e justiça (Jo 16.8).

A despeito do poder e conteúdo da mensagem, ela, certamente, é loucura para muitos. Ao mesmo tempo, ela é o poder de Deus para tantos outros (1 Co 1.17-25).

Os crentes em Cristo têm apenas uma mensagem a ser proclamada: a mensagem da Cruz, pois ela contempla e revela o plano de Deus que redime o homem de seus pecados, levando-o de volta para casa, a casa do Pai. Esta é a mensagem a ser proclamada. Ou pregamos o que as pessoas desejam ouvir, ou pregamos a mensagem da Cruz. As duas coisas não caminham na mesma estrada.

Ela não é fruto da mente de um propagandista ou de um marketeiro. Ela não deseja tirar de você o que você tem. Ela diz que Deus quer dar a você o que você não tem. Ela não se agarra apenas à sua mente, mas à sua alma. Ela será a sua salvação ou a sua condenação.

Pr. Gidiel Câmara ∙ Pastor Auxiliar