Menu

Estudos e artigos

2019 – O Ano da Celebração | JUBILEU – A CHANCE DE RECOMEÇAR

“Ordem!”. Esta é uma das palavras que definem bem a Criação e todo o projeto de Deus para tudo o que Ele criou. O universo inteiro está sob a ordem e o governo do Criador.

O Senhor Deus escolheu um povo para, por intermédio dele, trazer o Salvador ao mundo. Este povo recebeu do Senhor leis, estatutos, mandamentos, ordenanças, os quais permitiram que vivesse de maneira organizada, solidária e responsável diante do Criador e das criaturas. O propósito não era tornar a vida pesada, ao contrário, viver sob as leis de Deus tornaria a vida mais leve para toda a nação.

A grande promessa para aquela nação era uma terra. Por anos viveram sob um fortíssimo e pesado jugo de servidão no Egito. O anseio pela Terra Prometida era algo que parecia estar se tornando apenas vagas lembranças de promessas feitas por Deus aos antepassados Abraão, Isaque e Jacó. Mas Deus, que não é homem para mentir, levantou um homem chamado Moisés para ser o porta-voz da grande notícia: a Terra Prometida seria conhecida em breve. Por meio de sinais e maravilhas, o povo foi resgatado do Egito e Moisés o conduziu, em um deserto hostil, até à Terra Prometida.

A viagem foi longa. E neste longo tempo o Senhor Deus deu ao povo as leis que o regeriam na nova terra. Eles receberiam por herança porções de uma terra que seus antepassados haviam visto, mas não possuído. Aquela terra seria dada a eles.

Um dos princípios importantes da Lei era que nenhum israelita fosse explorado por outro israelita. Obviamente, uns despontariam mais do que os outros, mas cresceriam mais do que os outros. Mas a exploração deveria ser rejeitada. Viúvas, órfãos, pobres e estrangeiros deveriam ser bem cuidados pelo povo.

A Lei tratava diretamente da terra. No livro de Levítico, o Senhor ordena que a terra deveria descansar um ano a cada seis produzidos (Lv 25.1-7). A colheita do sexto ano seria mais abundante com o fim de proporcionar este descanso à terra. Este seria conhecido como o ano sabático. O Senhor estabeleceu também o Jubileu. Assim está escrito em Levítico (cap. 25). No quinquagésimo ano a terra não poderia ser cultivada. Além disso, propriedades hipotecadas poderiam ser resgatadas e escravos poderiam ser libertos. O ano do jubileu seria conhecido como uma nova oportunidade para recomeçar, um tempo de perdão, restauração, devolução. Deus pensou em cada detalhe para que a exploração não representasse avaria no projeto de uma terra santa para um povo santo.

Olhando para a história desta nação, percebemos claramente que as leis foram sendo quebradas, ajeitadas, alteradas para que a vontade das pessoas fosse mais satisfeita do que a vontade de Deus. Sempre que isso acontece o caos torna-se mais do que ameaçador, torna-se iminente.

E Deus? O que Ele fez diante destas situações de desvios, distanciamentos e abandonos por parte do povo? Ele ratificou a lei do jubileu. Por intermédio do profeta Isaías o Senhor bradou sobre um Resgatador que traria um novo e definitivo jubileu: “O Espírito do Soberano Senhor está sobre mim porque o Senhor ungiu-me para levar boas notícias aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros, para proclamar o ano da bondade do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; para consolar todos os que andam tristes, e dar a todos os que choram em Sião uma bela coroa em vez de cinzas, o óleo da alegria em vez de pranto, e um manto de louvor em vez de espírito deprimido. Eles serão chamados carvalhos de justiça, plantio do Senhor, para manifestação da sua glória” (Is 61.1-3).

Anos mais tarde, o Resgatador veio, conforme promessa do Senhor (Jo 1). Certo dia, Ele entrou em uma das sinagogas dos judeus, abriu o rolo do livro do profeta Isaías e leu a passagem acima descrita e exclamou: “Hoje se cumpriu a escritura que vocês acabaram de ouvir” (Lc 4.21). Desde então, o ano do jubileu foi estendido a pessoas de todas as tribos, povos, línguas, raças e nações… foi estendido a você. Hoje mesmo você pode experimentar o ano do Jubileu do nosso Senhor Deus. Você pode ter de volta sua vida e começar a viver para Ele. O Resgatador veio! O Resgatador pode pagar suas dívidas e conceder-lhe liberdade. O Resgatador, o Senhor Jesus, somente Ele, é a solução para que você seja livre no “ano do Jubileu”! Ele é a sua única real chance, a única oportunidade para recomeçar.

Pr. Gidiel Câmara · Pastor Auxiliar